Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Geração e Transmissão de Energia Elétrica

Da capacidade total de geração de energia elétrica do RS, 57,3% corresponde às usinas hidrelétricas

A capacidade instalada de geração de energia elétrica no Rio Grande do Sul cresceu consideravelmente nos últimos anos, passando de 1.893,8MW em 1998 para 9.565,8MW em 2016*. Este aumento permitiu a ampliação dos níveis de consumo, não só no estado, como também no país, pois o parque gerador opera através do Sistema Interligado Nacional de Geração e Transmissão - SIN**. De acordo com a ANEEL, a capacidade instalada do Estado representa cerca de 6% da capacidade instalada total do Brasil.

Da matriz de geração de energia elétrica do estado, 57,3% corresponde a hidreletricidade (UHEs – Usinas Hidreletricas, PCHs – Pequenas Centrais Hidrelétricas e CGHs – Centrais Geradoras Hidrelétricas); 24,0% corresponde a termeletricidade (UTEs – Usinas Termelétricas movidas a combustível fóssil ou a biomassa***); 18,5% a energia eólica (EOLs) e 0,0005% de energia solar (UFVs – Usinas Fotovoltaicas), demonstrando o avanço da diversificação com a utilização de fontes alternativas de energia. Esta diversificação teve início com a ampliação da utilização de gás natural e de biomassa como fontes de energia e está baseada, mais recentemente, na expansão da energia eólica e na instalação de novos projetos de aproveitamento de energia solar; o que tem assegurado melhorias na relação entre produção, importação e consumo no Estado com o acréscimo dos chamados Consumidores Livres e Produtores Independentes.

A Rede Básica de transmissão de energia elétrica viabiliza o transporte e suprimento da energia gerada às empresas concessionárias, permissionárias e autorizadas de distribuição que atuam no RS lideradas pela CEEE Distribuidora, RGE Sul e RGE. O sistema de transmissão de energia elétrica do estado, parte integrante do SIN - Sistema Interligado Nacional, conta com mais de 100 subestações de transmissão e encontra-se também conectado ao sistema argentino através das estações conversoras de Garabí e Uruguaiana e ao sistema uruguaio, através da estação de Rivera-Santana do Livramento e de Candiota III-Melo. A operação da rede básica de transmissão no Rio Grande do Sul, com tensões de até 500kV e extensão de mais de 6.000km**** é realizada, na sua maior parte, pela Companhia Estadual de Energia Elétrica - CEEE.

* Segundo a ANEEL (BIG 2016)
**Segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico - ONS, o Sistema Interligado Nacional é formado pelas empresas das regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste, Nordeste e parte da região Norte. Apenas 1,7% da energia requerida pelo país encontra-se fora do SIN, em pequenos sistemas isolados localizados principalmente na região amazônica.
***Segundo a ANEEL, no RS existem atualmente usinas térmicas movidas à carvão, gás natural, óleo diesel, óleo combustível ou outros energéticos de petróleo e térmicas movidas à biomassa proveniente de casca de arroz, licor negro (lixívia da indústria papeleira), resíduos de madeira, biogás AGR (originado na agroindústria) e biogás RU (originado de resíduos urbanos).
****ANEEL/SIGEL - Sistema de Informações Georreferenciadas do Setor Elétrico (500 e 230kV ); CEEE (6.055,61Km - dado de jan/2013)

Evolução da capacidade instalada no RS 2005-2016
Evolução da capacidade instalada no RS 2005-2016


Fonte: MME/EPE. Balanço Energético Nacional - BEN (2006 a 2017)

Percentual de geração de energia elétrica dos empreendimentos em operação no RS por tipo de fonte em 2016
Percentual de geração de energia elétrica dos empreendimentos em operação no RS por tipo de fonte em 2016


Fonte: ANEEL -  BIG 2017/Resumo Estadual

Arquivos para download

Atlas Socioeconômico do Rio Grande do Sul