Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Índice de Desenvolvimento Socioeconômico - IDESE

O RS encontra-se na faixa de médio desenvolvimento, com IDESE no valor de 0,751

O IDESE - Índice de Desenvolvimento Socioeconômico, elaborado pela FEE - Fundação de Economia e Estatística, é um índice sintético destinado a medir o grau de desenvolvimento dos municípios do Rio Grande do Sul. O IDESE resulta da agregação de três blocos de indicadores: Renda, Educação e Saúde, segundo um conjunto de variáveis ou indicadores. Para cada uma das variáveis que formam os blocos, é calculado um Índice que varia de 0 (sem desenvolvimento) a 1 (desenvolvimento total), e indica a posição relativa de todos os municípios do Estado. O índice final de cada bloco é a média aritmética dos valores das variáveis correspondentes.

Considera-se a classificação do índice em alto (acima de 0,800), médio (entre 0,500 e 0,799) e baixo (abaixo de 0,499) nível de desenvolvimento. O IDESE considera, no total, um conjunto de 12 indicadores dividido em três blocos: Educação, Renda e Saúde.

O Bloco Renda é composto por dois sub-blocos: apropriação de renda e geração de renda. O Bloco Saúde utiliza cinco indicadores que são divididos em três sub-blocos: saúde materno-infantil (taxa de mortalidade de menores de 5 anos e número de consultas pré-natal por nascidos vivos), condições gerais de saúde (taxa de mortalidade por causas evitáveis e proporção de óbitos por causas mal definidas) e longevidade (taxa bruta de mortalidade padronizada). O Bloco Educação utiliza cinco indicadores que se dividem em quatro sub-blocos, de acordo com faixas etárias: população entre quatro e cinco anos (taxa de matrícula na pré-escola), população entre seis e 14 anos (nota da Prova Brasil 5º e 9º ano do ensino fundamental), população entre 15 e 17 anos (taxa de matrícula no ensino médio) e população com 18 anos ou mais (percentual da população adulta com pelo menos ensino fundamental completo).

O Rio Grande do Sul encontra-se no patamar de médio desenvolvimento, com índice de 0,751 em 2015, apresentando uma ligeira queda em relação ao ano anterior, onde o índice era de 0,757. O Bloco Saúde é o único que se encontra no patamar de alto desenvolvimento, apresentando um índice de 0,817, pouco superior ao de 2014, que foi de 0,813. O Bloco Educação ficou praticamente estável, com uma pequena variação de 2014 para 2015, passando de 0,697 para 0,698, enquanto que o Bloco Renda foi o único que teve diminuição – o que influenciou na queda no Idese – de 0,757 para 0,739.

Dentre os municípios, Carlos Barbosa segue sendo o que se encontra melhor colocado, com um índice de 0,879, em 2015, enquanto que Alvorada apresentou, novamente, o pior desempenho, 0,571. Os maiores índices continuam concentrados nos municípios do eixo Porto Alegre-Caxias do Sul.

Em relação aos COREDEs, o melhor classificado foi o Noroeste Colonial, com um índice de 0,816, e embora tenha apresentado uma ligeira queda em relação ao ano anterior (0,826), ultrapassou o COREDE Serra, agora na segunda posição (teve queda de 0,877, em 2014, para 0,813, em 2015). O COREDE Centro Sul segue sendo o pior classificado, com uma diminuição do índice de 0,692, em 2014, para 0,680 em 2015.

Evolução do IDESE do Rio Grande do Sul por blocos 2007-2015
Evolução do IDESE do Rio Grande do Sul por blocos 2007-2015

Fonte: FEE/Núcleo de Indicadores Sociais e Ambientais

Faixas do Índice de Desenvolvimento Socioeconômico – IDESE
faixa_IDESE

Fonte: FEE/Núcleo de Indicadores Sociais e Ambientais

Atlas Socioeconômico do Rio Grande do Sul