Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Hidrovias e Portos

O RS apresenta uma importante malha hidroviária concentrada no leste do Estado

O Rio Grande do Sul apresenta uma importante malha hidroviária, concentrada nas bacias hidrográficas do Guaíba e Litorânea. Os principais rios navegáveis Jacuí e Taquari, Sinos, Caí e Gravataí em menor proporção e Lago Guaíba e Laguna dos Patos, são utilizados quase exclusivamente para o transporte de cargas através dos terminais públicos e privados. Os principais portos públicos são os Portos do Rio Grande, Pelotas, Porto Alegre e Estrela, onde operam também Terminais de Uso Privativo - TUPs. Atualmente há também TUPs distribuídos pelas hidrovias fora dos portos públicos com registros de movimentação crescente.

Da mesma forma que o transporte ferroviário, seu principal concorrente é o transporte rodoviário, embora sua utilização seja indicada para a movimentação de grandes volumes de carga em longas distâncias. A opção pelo predomínio do transporte rodoviário levou a subutilização do modal hidroviário no Brasil e no Rio Grande do Sul. Sua participação na matriz modal de transportes é de aproximadamente 13% no Brasil e 3% no RS*. No entanto é considerado por planejadores e técnicos do setor de transportes um importante elo da cadeia logística para o transporte de cargas com grande potencial para crescimento, desde que conectado adequadamente por centros de transferência de cargas aos modais rodoviário e ferroviário.

Quanto ao transporte de passageiros por hidrovia, no Lago Guaíba houve uma retomada em 2011, depois de 50 anos de interrupção**, ligando o trecho Porto Alegre-Guaíba. Já a navegação pela bacia do Rio Uruguai e Jacuí está restrita a travessia de passageiros e de veículos por sistema de balsas ou outras embarcações menores, embora haja potencialidade para desenvolvimento tanto do transporte regular quanto do transporte turístico.

A principal rota hidroviária do Estado encontra-se entre Porto Alegre e Rio Grande, que apresenta um calado de 5,2 metros. As cargas mais significativas transportadas em direção ao Porto do Rio Grande são os produtos petroquímicos, farelo e óleo de soja e celulose. Em direção ao Porto de Porto Alegre destacam-se os fertilizantes, sal, clínquer e bobinas de papel. O Porto do Rio Grande conta com um calado de 40 pés. O cais público, chamado de Porto Novo, com 31 pés e 2km de extensão oferece excelente disponibilidade de atracação. É referência para os países do MERCOSUL e também o principal elo de multimodalidade do Estado, fazendo com que parte do sistema rodoviário e ferroviário gaúcho tenha a região como ponto de entroncamento. A multimodalidade do Porto do Rio Grande é um importante fator na redução de custos e no aumento da eficiência logística, segundo a Superintendência do Porto de Rio Grande - SUPRG. Rio Grande está consolidado como o segundo maior porto brasileiro em movimentação de contêineres e o terceiro em movimentação de cargas, com volume geral que, em 2016, chegou a 38,2 milhões de toneladas. A soja em grão é o principal produto embarcado em toneladas, atingindo 24% do total da movimentação do Porto.

* PNLT, 2012 (Relatório Final) e PELT- RS, 2014
**a travessia por barcas acabou sendo desativada no início da década de 1960, depois da construção da ponte e da consolidação da hegemonia do transporte rodoviário sobre os demais modais.

Movimentação total de mercadorias do Porto do Rio Grande 2006-2016 (mil toneladas)
Movimentação total de mercadorias do Porto do Rio Grande 2006-2016 (mil toneladas)


Fonte: SUPRG

Movimentação de mercadorias por segmento de carga no Porto do Rio Grande 2016 (toneladas)
Movimentação de mercadorias por segmento de carga no Porto do Rio Grande 2016 (toneladas)

Fonte: SUPRG

Movimentação de embarcações no Porto de Rio Grande 2016
Movimentação de embarcações no Porto de Rio Grande 2016

Fonte: SUPRG

Arquivos para download

Atlas Socioeconômico do Rio Grande do Sul